Não devemos temer o futuro

Por Construplay, em 24/07/2018

É certo e seguro que teremos um horizonte mais animador e com negócios mais pródigos.

O mercado, os governos e os cidadãos estão aos poucos se conscientizando de seu papel e o avanço da questão é, ainda que parco, visível aos olhos de quem trabalha com isso.

As coisas andam devagar para quem recicla e muito rápida para quem constrói. É até estranho, pois num evento da ABRECON em agosto passado, tive a oportunidade de conversar com diversas usinas de reciclagem de RCD dos rincões do Brasil. Era unânime esse discurso – em minha região não é possível trabalhar, pois as construtoras não têm um pingo de responsabilidade.

Diametralmente oposto, é o discurso das construtoras (ou geradores) sobre a questão. Em palestras e reuniões em que eu participava no passado, sempre me referi a termos como CTR, RCD, PNRS e Inerte e isso soava como um palavrão para a plateia. Era dramático, ninguém sabia o que eu estava falando.

Mas hoje, me parece que há um novo cenário, muitas construtoras já se habituaram separar o entulho e a enviar o material a destinatários licenciados e legalizados. É uma cultura que tende a ser disseminada, dado a condição financeira do mercado e ao intenso trabalho da fiscalização ambiental em grandes centros e regiões adensadas.

Um fato que também agrega a isso é que já existe um entendimento sobre a relação de descartes incorretos de entulho com doenças já conhecidas, corroborando com um custo muito alto para a municipalidade.

Ferramentas eletrônicas de denúncias anônimas, sites, legislação, CTR/ MTR ou NTR Eletrônico ou em papel, enfim, tudo isso têm ajudado a desenvolver o setor de RCD.

Para quem está no segmento há mais de dez anos, vê isso com um certo grau de desconfiança, porém, é inegável que muita coisa mudou nesses últimos tempos. E por nós, vai continuar.

A mudança é sempre a favor e sempre será bem vinda. Provoca desconforto em alguns, mas até o momento de eles próprios entenderem que é para evoluírem.

Espero ter inspirado muitos empreendedores em sua missão, a entender o negócio, a pensar e, de certa forma, a instigar nossos leitores para o problema do entulho.

Levi Torres

Coordenador da ABRECON

Deixe seu comentário

Seu email é never shared. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*